Gestão do risco na incerteza do Brexit

O grau de incerteza e volatilidade legal, fiscal, jurídica e regulatória que o Brexit representa é, para sermos contidos, preocupante. Hoje, políticos, líderes empresariais e trabalhadores preparam-se para mudanças consideráveis num quadro no qual o futuro das relações com a União Europeia é uma incógnita.

As multinacionais com operações na UE e no Reino Unido têm feito o possível para prever e lidar com os riscos expectáveis associados ao Brexit. É, aliás, num quadro de previsibilidade mínima desejada que importa atuar, razão pela qual algumas empresas estão a equacionar – e bem! – uma variedade de opções para lidar com as consequências indesejadas do Brexit para os seus negócios.

A indústria automóvel do Reino Unido, por exemplo, refere-se à incerteza do Brexit para explicar o declínio no investimento no setor em 2017 e, como resposta, tem considerado deslocalizar e promover novos investimentos em zonas seguras dentro da UE.

Embora as empresas na UE e no Reino Unido não tenham certezas sobre o que o Brexit pode realmente significar para as suas operações, a maioria está convencida de que haverá um impacto significativo.

Em fevereiro deste ano, a Aon desenvolveu para a Bord Bia (agência estatal para a promoção de alimentos e horticultura na Irlanda e no exterior), um Barómetro para melhor entender a forma como as empresas irlandesas de alimentos e bebidas estão a abordar o risco do Brexit e os resultados revelaram um aumento dos seus níveis de preparação, apesar da volatilidade dos resultados das negociações políticas.

Revelaram também que as empresas que implementaram estratégias para responder aos riscos do Brexit estão mais bem preparadas para lhes dar uma resposta e para adotar medidas mais eficazes. E a adoção dessas medidas provavelmente será recompensada pelo aumento da sua maturidade na análise do risco e por melhorias no seu desempenho financeiro e operacional.

As organizações mais bem preparadas partilham, geralmente, características comuns: primeiro, confiam em equipas com diversas perspectivas para identificar possíveis riscos aos negócios; depois, munidas dessa informação, são capazes de, na incerteza, descobrir novas oportunidades ainda por explorar.

As empresas que procuram orientação sobre como lidar com os riscos do Brexit podem, no imediato, considerar a diversificação de mercados e a inovação dos seus produtos como uma forma de mitigação do risco associado a este. E isso, per si, deve colocá-las em melhor posição para responder aos riscos seja qual for o formato do Brexit.

No atual cenário, a capacidade de as organizações entenderem e gerirem a crescente interconetividade dos riscos é imperativa para o seu bem-estar financeiro e operacional. A implementação de princípios e práticas sólidas na gestão da incerteza, com forte consenso dentro das organizações e entre as suas diversas áreas ou departamentos, pode, aliás, contribuir para melhores resultados e respostas mais eficazes, mesmo durante eventos de alto impacto nos mercados.

Paralelamente ao barómetro foram desenvolvidos um conjunto de recomendações e um “template” para o plano do Brexit, no sentido de providenciar linhas de orientação para abordar os riscos identificados.(https://www.bordbia.ie/corporate/press/BrexitDocs/Brexit2018-Recommendations-Brexit-Plan-Template.pdf)

É precisamente na identificação, antecipação e/ ou mitigação desses riscos que as empresas podem encontrar respostas para uma transição mais suave num período que será, indubitavelmente, turbulento.

Este exemplo sectorial, num país que irá sofrer fortes impactos com o Brexit, deverá constituir um exemplo e uma inspiração para como, de uma forma estruturada e planeada, as organizações deverão fazer face a um evento que, pelas suas carateristicas, irá ter um impacto determinante no seu futuro.

Por isso, até quando se continuará a encarar o futuro da União Europeia e das empresas sem um tratamento adequado do risco e da incerteza?

Gráfico – Brexit: Riscos-chave identificados

Fonte – Bord Bia

Fonte: Bord Bia (link para o Barómetro, https://www.bordbia.ie/corporate/press/BrexitDocs/Brexit2018-Industry-Findings-Report.pdf)

Digiqole ad

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: