Um casal de brasileiros, que foi preso em Iowa em conexão com um esquema que usa dispositivos de clonagem de cartões bancários, enfrenta a acusação de roubar informações de cartões de 209 clientes em um caixa eletrônico no sudeste de Lincoln, no estado de Nebraska.

O crime teria acontecido em abril, de acordo com documentos judiciais.

De acordo com o investigador Donald Fosler, da Lincoln Police, funcionários da agência Union Bank and Trust em frente ao SouthPointe Pavilions, na South 27th Street, encontraram o dispositivo de clonagem e uma câmera “pinhole” no caixa eletrônico em 26 de abril.

O relatório do investigador acusa Evaldo da Silva, 40, e Jamily Silva-Sousa, 26 anos, de roubo e fabricação ilegal de um dispositivo de transação financeira e torna público o caso, que a polícia manteve sob sigilo até esta semana.

Policiais, xerifes e funcionários do banco deram poucas informações sobre o caso quando conversaram pela primeira vez publicamente sobre este crime, em maio. Eles falaram apenas que os policiais levaram 44 relatórios relacionados ao caso, e o xerife do condado de Lancaster, Terry Wagner, disse que seu gabinete recebeu mais dois.

O relatório de Fosler disse que o vídeo de vigilância do banco mostrou um homem e uma mulher, desconhecidos, instalando e removendo os dispositivos de clonagem 11 vezes entre 14 de abril e 26 de abril.

Jamily Silva-Sousa e seu companheiro estavam de posse de US$263 mil em dinheiro.

Os dispositivos são anexados a caixas eletrônicos e leitores de cartão de crédito, para que criminosos possam capturar números de cartões bancários e informações de senhas, criar novos cartões e roubar dinheiro dos titulares das contas.

Neste caso, o banco determinou que 209 contas foram comprometidas durante esse período de quase duas semanas, e elas foram usadas sem permissão 42 vezes em 13 caixas eletrônicos em Omaha (NE), entre 13 e 14 de maio, segundo o relatório de Fosler.

Mais de US $ 71.000 foram retirados destas contas pelo casal brasileiro que foi capturado nas imagens do vídeo de vigilância.

A polícia enviou as imagens dos suspeitos para agencias de aplicação da lei na região para ajudar a identificá-los e em 5 de junho, um detetive de West Des Moines, Iowa, disse que estava investigando os mesmos suspeitos por fraudes semelhantes dias após as transações em Omaha.

Evaldoe Jamily foram presos em Clive, outro subúrbio de Des Moines, em 15 de junho, no caso de West Des Moines. Os oficiais encontraram mais de US $ 263 mil em dinheiro nas malas deles e uma quantidade numerosa de cartões de crédito.

Os dois foram reconhecidos nas imagens captadas pela câmera de vigilância Union Bank.

Nesta terça-feira, os dois ainda permaneciam na cadeia do condado de Polk, em Des Moines, aguardando a extradição para Nebraska.

Em maio, o porta-voz do Union Bank, Kevin Keller, disse que o banco contatou os clientes afetados e reemitiu seus cartões.