A Nissan anuncia oficialmente que descobriu falsificações nos dados dos testes de emissões feitos por suas fábricas no Japão, com exceção de uma única linha de produção, a Nissan Motor Kyushu. A fabricante disse que está “proativamente fazendo uma checagem extensa de várias partes de sua operação” desde setembro de 2017, quando acabou descobrindo “inconformidades em seu processo final de inspeção de veículos.”

As duas principais descobertas da investigação, até o momento, são relacionadas com falsificações dos “desempenhos dos testes de emissão de poluentes e economia de combustível, que estão fora do padrão de testes”, assim como a “criação de relatórios de inspeções baseados em valores de medida alterados.” Os resultados foram enviados para o Ministério do Transporte do Japão, e a Nissan contratou a firma de advocacia Nishimura e Asahi para realizar “uma investigação completa” do caso, que ainda está sendo realizada

Até agora, a fabricante não divulgou quantos carros estão envolvidos nos esquema, mas diz que todos os seus modelos, com exceção do GT-R, se encaixam nos requisitos do governo japonês. Não explicaram porque o esportivo é a exceção ao caso.

A Nissan promete que continuará a “investigar sua organização, estruturas de trabalho e processos relacionados ao cumprimento das normas.” Se, e quando descobrirem mais problemas, a Nissan diz, sem entrar em detalhes, que irá tomar as medidas apropriadas.