MPF denuncia 12 por fraude que desviou R$ 665 milhões do Rodoanel

Os acusados são agentes públicos da Desenvolvimento Rodoviário S.A.( Dersa)
MPF denuncia 12 por fraude que desviou R$ 665 milhões do Rodoanel
Foto: Assembleia Legislativa

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou nesta sexta-feira (27) 14 pessoas acusadas de integrarem uma organização criminosa para fraudar licitações dos lotes 1, 2 e 3 do trecho norte do Rodoanel. Os acusados são agentes públicos da Desenvolvimento Rodoviário S.A.( Dersa). A denúncia foi feita dentro da Operação Pedra no Caminho, um braço da Operação Lava Jato. As irregularidades teriam desviados R$ 665 milhões.

Entre os denunciados pela Força-tarefa está o ex-presidente da Dersa, Laurence Casagrande Lourenço, e o diretor de engenharia da estatal, Pedro da Silva. De acordo com a denúncia, os acusados violaram artigos da lei de licitações, possibilitando vantagem ao contratado por meio de modificação de contrato sem autorização legal e fraudando licitação por meio de superfaturamento, onerando os cofres públicos.

De acordo com os investigadores, a organização criminosa operou fraudes no trecho norte do Rodoanel entre outubro de 2014 até a deflagração da operação, em junho passado. O trecho norte do Rodoanel é a última etapa do anel viário e ligará os trechos leste, oeste e o acesso ao aeroporto de Guarulhos.

“Os acréscimos indevidos geraram impacto financeiro calculado pelo MPF em torno de R$ 480 milhões, que correspondem ao superfaturamento por meio da manipulação proposital de quantitativos nos contratos”, afirma o MPF.

De acordo com o Tribunal de Contas da União (TCU), somente os aditivos contratuais geraram um prejuízo de R$ 235 milhões aos cofres públicos.

Digiqole ad

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: